O Que é e Como Funciona um Credor?

Olá a todos os leitores do meu blogue! Obrigado por estarem aqui. No artigo de hoje, vamos dar uma olhadela mais atenta… O Que é e Como Funciona um Credor?

A vida pode ser branca, com um pontinho preto; ou preto, com um ponto branco, como no ying-yang. No mundo das finanças existem duas forças opostas, mas não adversas, mas sim complementares. Por um lado, temos o devedor, a pessoa que solicita um empréstimo de dinheiro. E por outro, sua contraparte. vamos nos encontrar como funciona um credor.

Como funciona um credor?

Um credor cumpre uma função muito importante no campo econômico, permite fluidez ao sistema, mantém-no em constante movimento com sua participação. É ele quem injeta o capital para que muitos projetos sejam executados.

O que é um credor?

Em sua definição mais elementar, chamamos de credor a pessoa que coloca o dinheiro em um pedido de empréstimo ou entrega um bem material a outra pessoa para receber o pagamento posteriormente Deste. É aquela pessoa singular ou colectiva legitimamente autorizada a reclamar o reembolso económico ou o cumprimento de obrigação anteriormente contraída.

O devedor, a contraparte

Em contabilidade, A pessoa que simplesmente deve alguma coisa é chamada de devedorgeralmente dinheiro. A dívida pode ser o produto de um empréstimo solicitado ou como efeito do consumo de algum bem ou serviço, que é pago após a sua utilização.

O Que é e Como Funciona um Credor?

Entre o devedor e o credor existe uma obrigação legal, ou seja, o primeiro é obrigado a cumprir o compromisso assumido com o segundo, sob pena de a questão acabar por ser resolvida judicialmente. O credor é o sujeito ativo da relação, enquanto o devedor é o passivo. Se o devedor não honrar sua dívida, o credor pode tomar medidas para cobrar o que é devido por meio de algum bem de propriedade do devedor, como casas ou veículos.

Pode estar interessado em:  O Que é e Como Funciona uma Agência De Viagens Online?

Tipos de credor

Mais do que uma classificação dos credores como tais, pode-se falar das esferas em que se situa a atividade financeira executada. Assim, provisoriamente, existem o credor pessoal e o credor real. O primeiro é mais ou menos informal, geralmente familiar ou conhecido, que faz um empréstimo sem qualquer garantia legal ou notarial que implique a obrigação.

O credor real é muito mais formal, pois implica a documentação devidamente registrada em cartório. Este é o que realmente pode executar demandas por inadimplência ou atrasos. No entanto, podem ser tipificados os seguintes tipos, tendo em conta que credor é aquele que concede crédito:

Juramento: É o empréstimo que se concede colocando uma peça de roupa como garantia, ou seja, algum bem que o devedor entrega em custódia para receber o dinheiro. O devedor só recupera o penhor entregue depois de quitada a dívida. É muito comumente conhecido como peão.

Hipoteca: neste caso, o objeto dado em garantia é normalmente uma casa. Se o devedor não cumprir sua obrigação, perde o direito ao imóvel, que poderá ser vendido ou colocado em leilão.

Não garantido: é aquele empréstimo que é executado sem qualquer garantia. Em geral, são créditos de curto prazo, nos quais o devedor se compromete a pagar por meio de nota promissória, que estabelece a data de vencimento do contrato quando o dinheiro deve ser reembolsado. Como não há penhor como garantia, esse tipo de empréstimo exige um fiador ou avalista, que se responsabilizará pelo cumprimento por parte do devedor.

credor diário

Não é preciso ser um grande empresário para ser credor ou empresário para assumir dívidas. No dia a dia, usamos esses dois números. Um cartão de crédito ou algum serviço de pós-pagamento são serviços de um credorque nos dá algo e vai exigir um pagamento de nós mais tarde.

Pode estar interessado em:  O Que é e Como Funcionam as Pme?

Por fim, esperamos este breve de como funciona um credor, figura importantíssima para que a economia continue em movimento.

Também nos permitimos indicar outras leituras interessantes:

Não perca o próximo conteúdo em vídeo!

Deixe um comentário